Zygaena trifoli

 Zygaena trifoli (Esper 1783)

Zygaenidae Latreille, 1809

Zygaena Fabricius, 1775
     Voa de meados de Junho ao principio de Agosto e o adúlto tem uma envergadura de 28–33 mm.
     A larva alimenta-se de Lotus uliginosus e Lotus corniculatus. É neste estágio que passa o Inverno e tem apenas uma geração anual.
     Encontrei-a no Bussaco. na Mealhada, na Pampilhosa, em Montemor o Velho, no Covão d'Ámetade, Vila Nova de Mil Fontes e em Lamas de Olo.

Zygaena sarpedon

Zygaena sarpedon (Hubner, 1790)

Zygaenidae Latreille, 1809

Zygaena Fabricius, 1775

     A larva alimenta-se em Eryngium campestre e poderá ser encontrada de Abril a Maio

      O adúlto tem uma envergadura de 24/28 mm e pode ser visto a voar de Maio a Agosto, libando em Scabiosa atropurpurea, Cirsium vulgare e Galactites tomentosus.

     A distribuição das manchas vermelhas sobre as asas é muito irregular e varia de individuo para individuo, podendo causar algum problema de identificação.

     Encontro a espécie regularmente no seu período de voo, na Pampilhosa, muito localizado, tendo observado no máximo 3 exemplares a voar ao mesmo tempo.



Zygaena rhadamanthus


Zygaena lavandulae


Zygaena fausta

Zizeeria knysna

Zizeeria knysna (Trimen, 1862)   
Zizeeria Chapman, 1910
Lycaenidae
Leach, 1815
     A larva alimenta-se de Trifolium fragiferum, Mendicago sativa e Oxalis sp. 
     No Sul tem duas gerações, mas no norte parece ter só a segunda.
     O adúlto, com envergadura de 20/25 mm, voa de Abril a Outubro.
     Pode confundir-se com Cupido iorquinii e C. minimus.
     Fotografei-a apenas em Santa Maria da Feira. 

Zeuzera pyrina





Zethes insularis


Zerynthia rumina


                           Zerynthia rumina (Linnaeus 1758)
                           Zerynthia Ochsenheimer, 1816
                          Papilionidae Latreille 1802


A crisálida é capaz de se manter nesse estado durante 3 anos.

     Em estado larvar alimenta-se exclusivamente de Aristolochia longa, onde o adulto pôs os ovos, na face inferior das folhas, geralmente isolados.
     Tenho observado os ovos e as minúsculas lagartas a nascer, e o seu apetite devorador, pois geralmente comem os frutos carnudos da sua hospedeira.
     Os adultos libam geralmente em Lavandula stoechas, Cistus monspeliensis e Cistus crispus
     Em Abril já as vejo a voar na Pampilhosa, até Agosto. (Este ano (2016) vi uma a voar em 16 de Fevereiro)
     Tenho registos também da Serra da Boaviagem (Figueira da Foz) e das Buracos do Casmilo
  

Zelleria oleastrella


Zeiraphera insertana

Zanclognatha lunalis


Ypsolopha alpella